Acolhimento

Cuidar das pessoas e transformar vidas

Acolhimento Institucional

O Complexo de Saúde Pequeno Cotolengo acolhe, atualmente, mais de 200 pessoas com múltiplas deficiências, que estavam em situação de risco e/ou abandono familiar.

Os Assistidos têm idades variadas (de 0 a 120 anos) e são de diversas localidades do Paraná. Aqui, eles encontram um lugar adequado para viver, cuidado e muito amor.

Para atendê-los, são 4 Grandes Lares e 8 Casas Lares, abrigando-os de acordo com suas características e especificidades. Em todos os locais, a assistência é 24 horas por dia, durante os 7 dias da semana.

Os Grandes Lares acolhem Assistidos que possuem níveis de comprometimento cognitivo maiores e exigem cuidados mais complexos. 

Grande Lar Anjo da Guarda

O Lar Anjo da Guarda acolhe, em média, 35 pessoas de todos os sexos, entre 0 a 120 anos. Todos com múltiplas deficiências, físicas e intelectuais, com maior complexidade, que fazem o uso de gastrostomia e traqueostomia. Neste Lar, os Assistidos têm dependência para realizar atividades da vida diária (AVD).

Inaugurado em 1990, o prédio era, inicialmente, um berçário, para abrigar os nossos “Anjos da Guarda”, nome mantido até hoje.

 

Grande Lar Maria de Nazaré

 

São, em média, 55 mulheres, entre 18 e 80 anos, diagnosticadas com deficiência física e intelectual, de moderada a grave. Todas com algum grau de dependência para atividades da vida diária (AVD).

 

O Lar Maria de Nazaré foi o segundo a ser inaugurado no Complexo de Saúde Pequeno Cotolengo, em 1977.

 

Grande Lar São Francisco

 

O Lar acolhe, em média, 30 homens de 18 a 120 anos, com múltiplas deficiências. Alguns fazem o uso de gastrostomia e traqueostomia, com comprometimento neurológico e físico, sendo 98% cadeirantes. Todos possuem dependência total para atividades da vida diária (AVD).

O Lar São Francisco foi inaugurado em 1984, destinado a acolher apenas rapazes, público mantido até hoje.

 

Grande Lar Divina Providência

 

Este lar é exclusivamente masculino. São 20 homens, em média, entre 18 e 120 anos, diagnosticados com deficiência física e intelectual, de moderada a grave. Todos com algum grau de dependência para atividades da vida diária (AVD).

 

O Divina Providência foi o último Grande Lar a ser inaugurado, no ano de 2003. O nome é uma homenagem à fé inabalável de São Luís Orione, cujo caminho do bem e da caridade sempre foi guiado por Deus.

Casas Lares

O Projeto Casas Lares foi inaugurado em 2003, com oito residências padrão, para aumentar o atendimento e ampliar a qualidade de vida dos Assistidos que possuem maior nível de autonomia.

Casa Lar Dom Gaspar Goggi

A Casa Lar Dom Gaspar Goggi acolhe até 8 Assistidos do sexo misto, com múltiplas deficiências, que têm algum grau de dependência para atividades da vida diária (AVD). 

O nome do Lar é uma homenagem ao Servo de Deus que era professor por dom e sacerdote por carisma. Seu amor por fazer o bem, o levou a seguir os passos de Dom Orione. Faleceu aos 31 anos, com apenas 4 de profissão religiosa. Foi descrito pelo nosso fundador como um “santo estudioso, tão piedoso que morreu com fama de santidade”.

Casa Lar Mamma Carolina

 

A Casa Lar Mamma Carolina leva o nome da mãe de São Luís Orione, nosso santo fundador, e acolhe exclusivamente idosas. São até 10 mulheres, com idades entre 60 e 120 anos, com deficiência física e/ou intelectual e com algum grau de dependência para atividades da vida diária (AVD). Todas são muito sociáveis, comunicativas, amam receber visitas, ir para a Escola, participar das atividades no Complexo e criar laços de amizade.

 

O Lar homenageia Carolina Feltri, mulher forte e trabalhadora, que educou Dom Orione e seus outros filhos com base na oração, pureza, sacrifício e, principalmente, amor aos que mais precisavam.

Casa Lar Irmã Maria Plautilla Cavallo

 

Este Lar, exclusivamente feminino, acolhe até oito mulheres de 40 a 60 anos. São Assistidas com maior grau de autonomia, com deficiência física e/ou intelectual de leve a moderada. Todas têm muita afinidade e se sentem como uma família. Elas adoram socializar, conversar entre si e bater um papo com visitantes e funcionários.

 

O nome do Lar é uma homenagem à Lúcia Cavallo, que ingressou na Congregação das Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade, o ramo feminino da família religiosa orionita, e fez seus votos religiosos pelas mãos do nosso santo fundador. De saúde frágil, Irmã Maria faleceu no Pequeno Cotolengo Paverano de Gênova, em meio às crianças que tanto amou.

Casa Lar Dom Carlos Pensa

 

O Lar é exclusivamente masculino e acolhe até oito homens de idades que variam entre 18 e 120 anos. São Assistidos com maior grau de autonomia, diagnosticados com deficiência física e/ou intelectual de vários níveis. Alguns são cadeirantes, mas todos amam passear e socializar, mesmo aqueles que se comunicam parcialmente adoram bater um papo com quem encontram.

A Casa tem esse nome em homenagem a Carlo Mario Pensa, segundo sucessor de Dom Orione. Ele trilhou um caminho de santidade, seguindo os passos de São Luís Orione. Inicialmente, entrou para a Congregação como eremita, mas foi indicado para o sacerdócio pelo nosso santo fundador. É considerado um dos pais da Congregação da Pequena Obra da Divina Providência. Como disse Dom Orione: “será lâmpada ardente que iluminará os passos dos nossos jovens e de muitas pessoas”.

Casa Lar Dom Giuseppe Zambarbieri

 

Este Lar abriga apenas mulheres, atualmente com idades entre 18 e 60 anos. As Assistidas têm grande autonomia, adoram socializar, passear e criar laços entre si, com os funcionários e visitantes. São diagnosticadas com deficiência física e/ou intelectual de leve a moderada. Convivem e agem como uma verdadeira família e amam receber carinho, abraços e longas conversas.

 

O nome desta Casa Lar é uma homenagem ao terceiro sucessor de São Luís Orione e um dos pais da nossa Congregação. Ainda no colégio, conheceu e ficou fascinado com nosso santo fundador, a quem serviu com filial devoção e inteligência. Desfrutou da grande estima de Dom Orione que reconheceu seu valor dizendo: “Tenho vários bons filhos, um é Zambarbieri. É uma pérola em todos os aspectos“. Viveu deixando nas pessoas, um perfume estimulante de santidade e humanidade.

Casa Lar Beato Francisco Drzewiecki

Neste Lar, exclusivamente feminino, acolhemos Assistidas entre 18 e 60 anos. São diagnosticadas com deficiência física e/ou intelectual, de leve a moderada, e têm maior grau de autonomia. São muito responsáveis, sociáveis e adoram conversar. Dentro de casa, agem e se cuidam como uma família.

O nome desta Casa Lar é uma homenagem ao beato polonês que fez parte da Pequena Obra da Divina Providência e sofreu as torturas de um campo de concentração. Antes de ser morto, Francisco disse “vou, mas ofereço meu sacrifício para Deus pela Igreja e pela pátria.”

Casa Lar Frei Ave Maria

Este Lar também acolhe apenas mulheres, atualmente entre 18 e 60 anos. As Assistidas têm deficiência física e/ou intelectual, moderada e grave. Dentro de casa, são muito afetivas e gostam de ter autonomia. A comunicação é limitada, mas todas amam se expressar do seu jeitinho e são super carinhosas e sociáveis.

O nome do Lar é homenagem a César Pisano, que aos 12 anos ficou cego e perdeu a fé em Deus. Ao entrar para a congregação e receber o hábito das mãos do próprio São Luís Orione, sua vida mudou completamente. Tornou-se eremita e entregou sua vida para o Senhor e para Maria, seus dias foram, até o fim, apenas de oração e fé.

Casa Lar Padre Carlos Sterpi

Este Lar acolhe apenas mulheres cadeirantes. Atualmente, as Assistidas têm entre 18 e 60 anos de idade. Todas são diagnosticadas com deficiência física e/ou intelectual, de leve a moderada, além de algum grau de dependência para atividades da vida diária (AVD). Adoram bater um papo, são muito comunicativas e gostam muito de receber abraços e demonstrações de afeto.

O Lar homenageia o Venerável Carlos Sterpi, primeiro sucessor de São Luís Orione. Durante a fundação da Congregação a Pequena Obra da Divina Providência, Padre Sterpi foi o braço direito de Dom Orione, agindo em favor dos ideais e valores e vivendo fielmente o carisma do nosso fundador

  • Unidade de Cuidados Continuados Integrados Santa Terezinha

A Unidade de Cuidados Prolongados Integrados Santa Terezinha foi inaugurada em 2018, para receber asilados hospitalares e desafogar leitos do SUS de Curitiba. Hoje, são acolhidos 33 Assistidos, pessoas que estavam sem contato ou abandonados pela família, e que recebem aqui, cuidados especializados em saúde.

O prédio é o mais antigo do Complexo de Saúde Pequeno Cotolengo, inaugurado em 1971, com as bênçãos do sucessor de Dom Orione e do Papa Paulo VI. 

 
  • Unidade Hospitalar São Luís Orione

A Unidade Hospitalar São Luís Orione foi inaugurada em 2023, como uma Unidade de Transição de Cuidados, atendendo o SUS curitibano. São 25 leitos com o objetivo de reabilitar pessoas com perda transitória ou permanente de autonomia potencialmente recuperável, de forma parcial ou total, e que não necessitem de cuidados hospitalares em estágio agudo. 

Conta com o Centro de Reabilitação Padre Pedro Bortolini, Sala de Pediasuit, Sala Multissensorial e consultórios de especialidades médicas.

É nestas três frentes que se concentram todos os esforços do Complexo de Saúde Pequeno Cotolengo. Com a missão de “cuidar das pessoas e transformar vidas”, a Organização atende crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos com múltiplas deficiências – de variados níveis de complexidade, abandonados ou que estavam submetidos a situações de risco – e asilados hospitalares.

Orientado pelos preceitos de São Luis Orione, santo italiano fundador da Pequena Obra da Divina Providência, responsável por multiplicar instituições voltadas ao atendimento de pobres doentes, o Pequeno Cotolengo nasce no Brasil em 1964, em São Paulo; e no ano seguinte, 1965, em Curitiba, no Paraná.

Desde então, se desenvolveu seguindo fiel ao Carisma de Dom Orione: “só a caridade salvará o mundo”. Assim, foram incorporados novos serviços e modalidades de atendimento e, também, ampliada a estrutura para cuidar de mais pessoas.

Atualmente, são acolhidas mais de 240 pessoas, com moradia e cuidados 24 horas por dia, durante os 7 dias da semana, com idades entre 2 e 88 anos. Os Assistidos moram em 8 Casas Lares e 4 Grandes Lares, dependendo da autonomia que possuem. A Organização também conta com uma Unidade de Cuidados Prolongados e oferta 22 especialidades e áreas de atendimento, com uma equipe de saúde altamente capacitada e equipamentos modernos. Na área da educação oferta ensino básico especial por meio da Escola Pequeno Cotolengo, que fica dentro do Complexo.

Hoje, é reconhecida como uma das maiores organizações do Brasil, referência no atendimento especializado e no acolhimento de pessoas com múltiplas deficiências, reabilitação e egressos do Sistema Único de Saúde (SUS). Todo serviço é oferecido de forma gratuita para os Assistidos.